O que fazer e visitar em Saranda

Saranda e o charme da Riviera Albanesa

Saranda (Sarandë) é uma cidade muitas vezes negligenciada pelos viajantes numa viagem pela Albânia, mas eu não vejo razão para tal. Aliás, para mim foi “ouro sobre azul”! Depois de uma viagem de algumas horas desde Meteora, na Grécia, chegar àquela marginal moderna e ensolarada e comer uma maravilhosa massa de marisco, acompanhada por uma cerveja bem gelada, era tudo o que precisava.

A minha primeira sensação ao chegar à cidade foi muito boa. A zona da marina e o passeio pedonal da Bulevardi Hasan Tahsini recordaram-me de imediato a nostalgia de algumas cidades da América Latina, que eu tanto gosto. Estava em casa! :)

O que fazer, ver e visitar em Saranda

Saranda, por muitos considerada a capital não oficial da Riviera Albanesa, é uma cidade cheia de vida, especialmente durante os meses de Verão. Desde as lindíssimas praias e da vibrante vida nocturna até aos locais arqueológicos e tesouros naturais, há muito para fazer e conhecer nesta “capital” à beira-mar plantada.

Eu tive a sorte de estar a viajar sem pressas e, por isso, poder aproveitar para conhecer bem a cidade e as redondezas. Estas são as minhas recomendações!

Marina e Bulevardi Hasan Tahsini

Marina da Saranda, Albania

Para sentir o pulso e ficar logo com uma boa primeira impressão de Saranda, a primeira coisa que deve fazer é dar um passeio pela Bulevardi Hasan Tahsini. Em pleno centro da cidade, esta extensa e agradável marginal pedonal, que contorna grande parte da baía, é onde tudo se passa!

Ao longo deste passeio vai encontrar, para além da pequena charmosa marina, vários cafés, restaurantes e gelatarias. E é aqui que, ao final da tarde e aos fins-de-semana, os locais se costumam encontrar para caminhar, conversar, jogar cartas, cantar, etc.

Bulevardi Hasan Tahsini, Saranda

À noite, também é aqui que se localizam vários bares, sendo o Jericho Cocktail Bar um dos mais conhecidos e frequentados. Mais à frente, já no início da estrada para as praias a sul da cidade, ficam o City Lounge e o Orange para quem quiser estender a noite.

Dica de viagem
O restaurante Limani, situado mesmo na marina, é uma referência incontornável. Comida e serviços óptimos a preços que já não estamos habituados na Europa.

Localizar no mapa: Hasan Tahsini Monument, Marina de Saranda, Restaurante Limani, Jericho Cocktail Bar

Mosteiro dos 40 Santos

Mosteiro dos 40 Santos, Saranda

O Mosteiro dos 40 Santos é um dos primeiros locais que recomendo visitar em Saranda, não apenas pelo seu interesse histórico, mas também porque é a partir de lá que se consegue uma das melhores vistas sobre a cidade.

O edifício terá sido construído durante o Séc. VI e foi um importante lugar de peregrinação durante a época Bizantina. Diz a lenda que foi construído em homenagem aos “Quarenta mártires de Sebaste”, um grupo de 40 soldados romanos torturados e assassinados por se recusarem a renunciar à fé cristã, e que acabou por representar um papel fundamental na história e no próprio nome da cidade. “Saranda” em Grego significa “quarenta”.

Vista de Saranda

O mosteiro manteve-se em boas condições até à Segunda Guerra Mundial, altura que foi bombardeado pelos Aliados acreditarem que servia de base para tropas Alemãs. Hoje em dia, resta uma grande extensão de ruínas e uma vista arrebatadora desde um dos pontos mais altos e inóspitos da cidade!

Dica de viagem
Tente ir ao final do dia para apanhar o pôr-do-sol e, no regresso, faça uma breve paragem na mesquita Qafe Gjashta.

Localizar no mapa: Monastery of 40 Saints, Mosque Qafe Gjashta

Praias de Saranda

Praia em Saranda, Albania

No próprio centro e com acesso directo desde a marginal Bulevardi Hasan Tahsini, existe uma praia citadina. Mas não é boa. As melhores praias próximas de Saranda estão para sul, até Ksamil, ou para norte, até Dhërmi, e estas são duas zonas que costa que valem bem a pena explorar!

Hotel de praia em Saranda, Albania

No entanto, se quiser mesmo fazer alguma praia na cidade, recomendo que vá para uma das pequenas enseadas na ponta sul da cidade. Grande parte delas são praias “privadas” dos hotéis ou bares de praia, pelo que poderá ter que alugar uma cama e um guarda-sol ou, pelo menos, consumir alguma coisa. Aqui entre nós, compensa!

Riviera Albanesa (norte de Saranda)

Jali Beach, Albania

A chamada “Riviera Albanesa” é uma linha de costa, com cerca de 130 Km, que vai desde a cidade de Vlorë até às praias de Ksamil, a sul da Saranda. Ao longo desta estrada, que pode muito bem ser uma das mais bonitas do mundo, vai encontrar dezenas de praias com água azul turquesa e pequenas aldeias que fazem recuar no tempo e onde poderá usufruir da genuína hospitalidade albanesa.

A melhor forma de conhecer esta zona é alugar um carro em Saranda e ir explorando ao seu ritmo. Guarde, pelo menos, um dia completo. Mas, se tiver tempo, ficar a dormir em Himarë, Vuno ou Dhërmi é uma excelente opção!

Porto Palermo, Albania
Riviera Albanesa

Algumas dos locais que valem a pena conhecer são (clique nos links para ver a localização exacta no google Maps): Borsh Beach, Porto Palermo (praia e castelo), Himarë, Livadhi Beach, Jalë, Vuno (aldeia típica localizada num ponto alto e com vistas espectaculares) Gjipe Beach (praia apenas acessível de barco, 4×4 ou longa caminhada), Dhërmi e Dhërmi Beach. Mas não se fique por aqui. Explore! Eu “descobri” algumas praias que nem nome têm.

Monastery Beach (Plazhi i Manastirit)

Na estrada para Saranda

A caminho de Ksamil, esta é uma das primeiras praias que vale a pena parar. Todo o ambiente, desde o desvio na estrada até lá em baixo (é uma descida bastante íngreme), dá a sensação de estarmos dentro de um filme do Kusturica. Maravilhoso!

Monastery Beach, Saranda

A praia é de areia grossa e pedrinhas (como grande parte das praias da região) e tem um aspecto meio selvagem e uma água cristalina óptima para tomar banho! Há um pequeno bar com camas de guarda-sóis e um centro de mergulho. Um pouco elevado e encosta acima, o Hotel Kristal oferece a melhor vista sobre o areal e a baía, e pode ser um bom sitio para passar uma ou duas noites sossegadas.

Dica de viagem
O nome “Praia do Mosteiro” vem de algum lado. No desvio da estrada principal, se seguir por um caminho de terra do lado esquerdo vai dar ao Mosteiro de São Jorge.

Localizar no mapa: Monastery Beach, Mosteiro de São Jorge

Mirror’s Beach (Plazhi i Pasqyrave)

Mirror's Beach, Saranda

Um bocadinho depois da Monastery Beach, a Mirror’s Beach é outra boa praia relativamente isolada e protegida pelas falésias. Pode, eventualmente, não ser tão bonita ou selvagem, mas como o caminho até lá não é propriamente fácil acaba sempre por ter menos gente. Para quem vai de autocarro, é uma grande caminhada depois de sair na paragem da estrada principal. Para que vai de carro, a descida é acentuada e feita por uma estrada estreita de terra e pedras.

Existe um bom restaurante, bem arranjado e com uma excelente esplanada, onde também é possível alugar camas e guarda-sóis para aproveitar bem o dia no extenso areal e na água azul turquesa.

Localizar no mapa: Mirror’s Beach

Ksamil

Ksamil, Albania

Ksamil é o destino de praia mais popular da Riviera Albanesa e, possivelmente, de toda a Albânia. E é fácil perceber porquê. As praias são lindas! Pequenas enseadas de areia branca e água azul cristalino, com camas e guarda-sóis, restaurantes baratos com óptimo peixe e marisco… o lugar perfeito para relaxar.

A cidade, em si, é pequena e não especialmente bonita em termos de construções, que têm aumentando de ano para ano, mas isso é o menos. Tenha atenção que durante os meses de pico do Verão (Julho e Agosto) está sempre cheio de gente e muito lotado e, na minha opinião, é de evitar.

Praias de Ksamil, Saranda
Ksamil, Riviera Albanesa

Existem várias praias e enseadas. Umas com mais areia, outras mais rochosas, com mais ou menos estrutura de apoio, etc. O ideal será explorar por si próprio(a) e escolher as que mais lhe agradam. Em frente existem 4 pequenas ilhas onde se pode ir de barco, gaivota ou, pelo menos às duas mais próximas, a nado! :)

Chegar a Ksamil é muito fácil. Se tiver transporte próprio (carro ou mota), é só seguir a estrada principal. O passeio é curto e muito agradável, e pode fazer uma paragem em Monastery Beach e/ou Mirror’s Beach. Caso contrário, pode apanhar o autocarro que sai do centro de Saranda ou um táxi. São cerca de 15 Km.

Localizar no mapa: Ksamil, Ilhas de Ksamil

Parque Nacional de Butrint

Butrint National Park, Albania

O Butrint National Park é, culturalmente e historicamente falando, um dos locais mais relevantes da Albânia e que alberga o, provavelmente, parque arqueológico mais importante do país.

Habitada desde os tempos pré-históricos, a cidade de Buthrotum terá sido, segundo a mitologia clássica, fundada por exilados em fuga depois da queda de Tróia, atravessando depois todas as épocas históricas até ser abandonada no final da Idade Média. O local foi declarado Património Mundial da UNESCO em 1992 e classificado como Parque Nacional em 2000.

Butrint, Albania
Teatro Romano, Butrint

O que a visita à cidade antiga de Butrint oferece hoje é uma viagem através dos tempos da história, que remonta ao século VIII AC e que se conserva como um testemunho único das civilizações Helénica, Romana, Bizantina, Veneziana e Otomana. Num circuito bem organizado, é possível ver as ruínas de mais de uma dúzia de edificações, como uma torre veneziana, um teatro romano, um baptistério com chão em mosaico, uma grande basílica, o castelo e as suas muralhas, etc.

Castelo Veneziano, Butrint

Para além de questão histórica, parque abrange uma área de mais 9.000 hectares de terreno montanhoso com lagos, pântanos, planícies, canaviais e ilhotas onde habitam milhares de animais de plantas de todas as espécies.

Dica de viagem
Negoceie com um barqueiro uma ida e volta ao castelo de Ali Pasha, que fica numa ilhota rodeado de água. Para o ver e fotografar de cima, apanhe o trilho que existe ao lado de um grande parque de estacionamento na estrada principal, antes da descida..

Localizar no mapa: Butrint National Park, Castelo de Ali Pasha

The Blue Eye

The Blue Eye, Albania

O The Blue Eye (Syri i Kaltër, em Albanês) é um fenómeno natural localizado a cercada e 35 Km de Saranda, na estrada para Gjirokaster ou para a fronteira com a Grécia. Trata-se da nascente de um rio numa fenda com mais de 50 metros de profundidade – não se sabe ao certo quantos metros porque os mergulhares só conseguiram ir até aos 50.

O cenário natural é lindíssimo e a água tão transparente que se consegue ver o buraco quase até ao fundo a partir de uma plataforma colocada para o efeito. Dá uma vontade incrível de mergulhar! No passado, chegou a ser permitido tomar banho no Blue Eye mas, felizmente, hoje está classificado como Monumento Natural e, com tal, é expressamente proibido.

The Blue Eye, Albania

Á chegada há um pequeno parque de estacionamento e um pequeno café com bebidas e gelados praticamente em cima do rio. Se quiser, aqui pode dar um mergulho! Para chegar ao monumento propriamente dito, tem que seguir atravessar uma pequena ponte se seguir o trilho. Para quem gosta de campismo, é permitido acampar e pernoitar com autocaravana.

Dica de viagem
Se puder, vá num dia de sol a meio da manhã. Dessa forma, vai apanhar o sol a bater directamente na água e tornar as cores anda mais dramáticas.

Localizar no mapa: The Blue Eye

Gjirokaster (Day Trip)

Gjirokaster, Albania

Gjirokaster, cujo centro histórico está classificado como Património Mundial pela UNESCO, é um daqueles destinos imperdíveis numa viagem à Albânia e, dependendo da rota programada no país, fazer uma day trip (bate-volta, como dizem os brasileiros) desde Saranda pode ser a única opção para muitos viajantes. Não é o ideal, porque para fazer as coisas com tempo vai acabar por ser um dia comprido e cansativo, mas é perfeitamente fazível!

São apenas 55 Km de distância entre as duas cidades, mas a primeira metade da estrada é bastante sinuosa e a viagem pode facilmente demorar 1h30m em cada sentido. A melhor forma para lá chegar será alugar um carro (poderá fazer uma paragem no The Blue Eye), mas também há vans a sair regularmente desde o centro de Saranda e vice-versa.

Localizar no mapa: Gjirokaster

Guia prático para visitar Saranda
Quando ir
Pode-se visitar Saranda durante todo o ano, mas os melhores meses são Maio/Junho ou Setembro/Outubro. Durante os meses de pico do Verão (Julho e Agosto) a cidade e as praias da Riviera Albanesa estão lotadas e perdem grande parte do seu encanto.

Como chegar
Se já estiver a viajar na Albânia, o ideal é ter um carro alugado para se movimentar facilmente pelo país. Pesquise na Rentalcars. Em alternativa, terá que apanhar um autocarro ou van desde Vlore, Gjirokaster ou qualquer outra cidade. Saranda também é facilmente acessível a partir da Grécia, seja pela fronteira terreste a sul ou de ferry a partir da ilha da Corfu. Desde Itália, também há ferry a partir de Brindisi. Pesquise no Direct Ferries.

Onde dormir 
Não faltam hotéis e alojamentos em Saranda. A minha recomendação é, sem sombra de dúvidas, ficar mesmo no centro, preferencialmente na marginal. Veja os seguintes alojamentos: Hotel Kaonia, Ari’s Rooms, Hotel Pini, Hostel Hasta La Vista, Sun N Blue Hotel, Illyrian Boutique Hotel. Se nenhum destes lhe agradar, use-os como referência de localização e pesquise outros Booking ou Airbnb

Como se deslocar
O ideal será alugar um carro ou uma mota. De mota conseguirá explorar os lugares mais próximos do centro e as praias até Ksamil ou mesmo Burint. Há vários sítios onde alugar mota na cidade. Mas para ir ao The Blue Eye, Gjirokaster e percorrer a Riviera Albanesa para norte, o carro é a melhor alternativa. Reserve com antecedência na Rentalcars. Em alternativa, pode usar autocarros e vans locais. Os horários não são de fiar e o conforto nem sempre é o melhor, mas funcionam. 

Seguro de viagem
Não se esqueça de fazer um bom seguro de viagem! A Albânia fica na Europa mas (ainda) não pertence à União Europeia. Recomendo os seguros da World Nomads ou da IATI.

Nomad - Os Povos das Filipinas  
Planeie a sua viagem com estas ferramentas
Faça como eu! Estas são as ferramentas que utilizo no planeamento e preparação das minhas viagens. Ao utilizar os links abaixo, poderá ter alguns benefícios e, ao mesmo tempo, ajuda-me a manter o blog sem pagar nada mais por isso.
Pesquisar voos
Pesquise os seus voos num agregador como o Skyscanner ou o Momondo.
Alojamento
Reserve o seu hotel, hostel ou guesthouse no Booking ou no Airbnb.
Seguro de viagem
Faça sempre um bom seguro de viagem com a World Nomads ou a IATI.
Tours e bilhetes
Encontre tours e compre bilhetes para atracções na GetYourGuide ou na Civitatis.
Rent-a-car
Consiga os melhores preços de aluguer de carros na Rentalcars ou a Economy Car Rentals.
Cartões Bancários
Poupe nas taxas de levantamentos em viagem com os cartões Revolut ou N26.

Deixe um comentário