Road Trip pela Ria de Aveiro

Roteiro para uma Road Trip pela Ria de Aveiro

A Ria de Aveiro é uma laguna que se terá formado durante o século XVI como resultado do um recuo do mar, constituindo assim um dos mais bonitos “acidentes geográficos” da costa portuguesa. É, também, a foz do Rio Vouga.

Com uma extensão de 45 quilómetros de comprimento e 11 quilómetros largura e um único ponto de acesso ao mar pelo canal que quebra a “língua de terra” em São Jacinto, apresenta um dos visuais aquáticos mais bonitos de Portugal e que merece ser explorado e percorrido com tempo.

Neste artigo, pretendo dar uma sugestão de roteiro para uma Road Trip pela Ria de Aveiro saindo do Porto. Caso não tenha carro próprio e precise alugar um, recomendo-lhe que o faça através da Rentalcars ou da Economy Car Rentals.

Quantos dias para visitar a região da Ria de Aveiro?

Como quase sempre, depende! :) Em termos de estrada, seguindo o roteiro que sugiro são cerca de 220 km ida/volta a partir do Porto. Isto pode ser feito num único dia, mas praticamente sem tempo para paragens e visitas nem para conhecer bem a cidade de Aveiro.

Assim, a minha recomendação é planear, no mínimo, dois ou três dias para poder andar sem pressas e ter a oportunidade de aproveitar bem o percurso e toda a sua envolvente. No entanto, se gostar de viajar devagar e tiver disponibilidade, poderá facilmente andar durante uma semana pela região sem dar conta do tempo passar.

O que fazer e visitar à volta da Ria de Aveiro

Toda a bacia hidrográfica da Ria de Aveiro apresenta uma grande biodiversidade, onde a fauna e a flora renascem todos os dias. Desde actividades de ar-livre, como andar de bicicleta ou fazer caminhadas, ou mesmo desportos mais radicais como o surf ou o kitesurf, passando pela boa gastronomia e vinhos, até à descoberta da parte mais cultural e religiosa… há um pouco de tudo para fazer e explorar durante uma Road Trip. Vamos a isso?

Ovar

Ovar, Ria de Aveiro

Para quem viaja desde o norte, Ovar é a primeira cidade da região a que se costuma chamar de Ria de Aveiro e, como tal, o primeiro eventual ponto de paragem. Com um património arquitectónico e religioso tão interessante, torna-se fácil “perder” uma manhã inteira a passear calmamente pelas ruas do centro histórico, observando com calma cada detalhe. A Praça da República e a Câmara Municipal, a igreja de Santo António, o edifico do Tribunal Judicial, o Jardim dos Campos (ou Jardim das Rosas), a Igreja Matriz e o Parque Urbano são alguns dos lugares por onde passar.

Duas rotas especificas a considerar são o percurso turístico “Vai Passear” e os “Passos de Ovar”. A primeira, desafia os visitantes a deambular pelas ruas para ir encontrando as casas revestidas com um determinado padrão de azulejo (vá buscar o seu exemplar e o mapa do percurso ao Posto de Turismo). A segunda, convida a, literalmente, “bater todas as capelinhas” dos Passos de Ovar, um conjunto de sete peculiares capelas de estilo rococó, datadas do século XVIII, cujo percurso simboliza a Paixão de Cristo.

A cerca de 6 quilómetros do centro de cidade, fica a Igreja Matriz de Santa Maria de Válega. Ás vezes apelidada, talvez com alguma benevolência, de “Capela Sistina Portuguesa” esta magnífica igreja vale, sem sombra de dúvidas, o pequeno desvio. A fachada frontal está totalmente revestida a azulejos pintados com temas e motivos bíblicos da fábrica Aleluia, colocados em 1960. No interior, para além das paredes também todas revestidas a azulejos policromados, pode-se admirar o tecto trabalhado em madeira e alguns bonitos vitrais. Ao final da tarde, com a luz do sol poente a bater na fachada e a luz a entrar pelos vitrais, o cenário torna-se especialmente bonito. Sem dúvida, umas das mais bonitas e “excêntricas” igrejas que já conheci!

Onde dormir em Ovar
Se decidir dormir em Ovar, saiba que a oferta de alojamentos é bastante variada. Pode pesquisar no Booking ou no Airbnb, mas veja especialmente estas sugestões:
» Furadouro Boutique Hotel Beach & SPA
» Furadouro Surf Camp (Studios)
» Aqua Hotel
» Feel at Home Guest House

Ver mais alojamentos em Ovar

Localizar no mapa: Ovar, Câmara Municipal, Posto de Turismo, Igreja de Santo António, Tribunal Judicial, Jardim dos Campos, Parque Urbano, Igreja Mariz, Capela do Passo da Verónica

Estarreja

Arte urbana em Estarreja

Confesso que nunca tinha olhado para Estarreja sob a perspectiva do turismo e, talvez por isso mesmo, tenha ficado tão surpreendido com o que fui encontrar. Sob a bandeira da paixão de Egas Moniz – filho da terra e Prémio Nobel da Medicina em 1949 – pela arte, o festival ESTAU – Estarreja Arte Urbana tem vindo a transformar as ruas da cidade desde 2016, construindo um roteiro com dezenas de pinturas murais e instalações de arte, criando um autêntico e emocionante museu a céu aberto em que os artistas, nacionais e internacionais, utilizam os próprios edifícios e paredes como tela para as suas criações. Actualmente, já serão perto de meia centena de obras, incluindo o retrato da Dona Florinda, a última mulher a trabalhar de forma tradicional nos campos de arroz da região, esculpido por um dos mais conceituados artistas de arte urbana portugueses, Vhils.

É possível visitar este circuito de forma livre ou através de uma visita guiada, que pode ser marcada directamente com o gabinete de turismo local. Para marcações e mais informações, incluindo um mapa online com todas as instalações referenciadas, consulte a página da Câmara Municipal de Estarreja.

Localizar no mapa: Estarreja, Câmara Municipal de Estarreja

Murtosa

Murtosa, Ria de Aveiro

Logo depois de Estarreja, cortando em direcção à ria propriamente dita, fica a Murtosa. Sede de concelho e com mais população residente que a Torreira, sua vizinha da frente, tem uma agenda cultural bem preenchida e uma oferta turísticas muito vocacionada para as actividades de ar-livre e desportos de água e vento. Um das suas principais atracções é a chamada Rota dos Cais, que evidencia a importância do território como grande plataforma comercial da Ria de Aveiro e que inclui mais de uma dúzia de cais e ancoradouros que vale a pena visitar com vagar.

Toda esta zona é perfeita para percorrer de bicicleta, pois é completamente plana e tem vários circuitos bem planeados e sinalizados. Caso não viaje com bicicleta própria, durante os meses de Verão o Município da Murtosa disponibiliza gratuitamente a partir da Porta de Ria, do Turismo da Torreira ou do Cais da Ribeira de Pardelhas, onde também poderá conseguir um passeio de moliceiro à vela pela ria. Para mais informações, veja o site Murtosa Ciclável.

Bicicleta na Ria de Aveiro

Localizar no mapa: Murtosa, Cais da Béstida, Cais da Cambeia dos Cardosos, Cais da Cova do Chegado, Cais do Bico, Cais da Ribeira de Pardelhas, Porta da Ria, Turismo da Torreira

Torreira

Torreira, Ria de Aveiro

Atravessando a Ponte de Varela, chegamos à Torreira e a um dos visuais mais bonitos desta Road Trip, quando a estrada N327 segue coladinha à margem da Ria de Aveiro. É altura de abrandar para velocidade de passeio, abrir os vidros do carro e aproveitar as vistas! Se for perto da hora do almoço, vá directo ao restaurante “A Varina”, para conseguir ficar numa das mesas da esplanada. Senão, atravesse a rua e vá observar e tirar algumas fotografias aos barcos e pescadores no Porto de Abrigo.

Torreira, Ria de Aveiro

A vila está estrategicamente encaixada entre a ria o mar, o que permite saltar facilmente entre dois cenários bem distintos. De um lado, um extenso areal e uma óptima praia com bastante estacionamento e excelentes infraestruturas, com um mar agitado bom para fazer surf e outros desportos de ondas. Do outro, a tranquilidade das águas da ria, ideal para a pesca com cana e para desportos de vela como o windsurf ou o kitesurf na companhia dos típicos barcos moliceiros ou mercantéis. Se viaja de caravana ou autocaravana, há um bom parque de campismo mesmo no centro da vila e um estacionamento informal logo a seguir ao cais.

Onde dormir na Torreira
Se decidir, e muito bem, ficar a dormir na Torreira, a minha melhor recomendação vai para a incontornável Pousada da Ria. Pode pesquisar no Booking ou no Airbnb outras alternativas.
» Pousada da Ria
» See U Inn
» Mikes River Apartment
» Beach House Babylon

Ver mais alojamentos na Torreira

Localizar no mapa: Torreira, Ponte da Varela, Restaurante A Varina, Porto de Abrigo, Praia da Torreira, Parque de Campismo, Estacionamento autocaravanas

São Jacinto

Dunas de São Jacinto, Ria de Aveiro

Continuando para sul pela N327, uma das parte mais cénicas da viagem é o troço que liga a Torreira a São Jacinto, quando a ria alarga e durante o qual se vê muitas pequenas enseadas onde costumam estar alguns pescadores com as suas canas e uma cervejinha a acompanhar!

A Reserva Natural das Dunas de São Jacinto, classificada como área protegida desde 1979, ocupa uma área de 960 hectares de uma estreita península arenosa localizada entre a ria e o mar. Existem trilhos pedestres (bicicleta e veículos motorizados estão proibidos) bem marcados e delimitados, mas por razões de segurança e controlo é sempre necessário passar pela recepção do Centro Interpretativo para fazer o registo de entrada. Se preferir, poderá optar por uma visita guiada por um técnico da Reserva Natural, mediante marcação prévia. Outra boa opção é deixar o carro no parque de estacionamento do Parque de Campismo Municipal de São Jacinto (não confundir com o Parque de Campismo Orbitur, que fica um bocado antes para quem vem de norte) e percorrer o trilho e o passadiço que vai directo até à praia.

No centro da vila, delicie-se com um belo peixe grelhado ou uma feijoada de marisco num dos vários restaurantes localizados na zona de marginal portuária. “A Peixaria” é, normalmente, o mais recomendado pelos locais.

Ferry São Jacinto, Ria de Aveiro

Desde São Jacinto, poderá apanhar um ferry boat para Aveiro, mais precisamente para o Forte da Barra. Para além de ser uma travessia sempre interessante, evita que tenha de voltar para trás e ir dar a volta toda por Estarreja. Para informações actualizadas sobre horários e preços do ferry, veja o site da Aveiro Bus.

Localizar no mapa: São Jacinto, Reserva natural das Dunas de São Jacinto, Parque de Campismo São Jacinto, Praia de São Jacinto A Peixaria, Ferry São Jacinto

Praia da Barra

Farol de Aveiro

O Farol da Barra ou Farol de Aveiro destaca-se claramente na paisagem. À data da sua construção (1885-1893), era o sexto maior do mundo construído em alvenaria de pedra, mantendo hoje em dia o título de segundo maior farol da Europa e 26º mais alto do mundo. Pode ser visitado às quarta-feiras e, quem aguentar a subida dos 288 degraus (cerca de 60 metros) e se o tempo ajudar, vai ser recompensado com uma das melhores vistas costeiras de todo o país.

Curiosidade
Sabia que a Praia da Barra e a Costa Nova pertencem ao concelho de Ílhavo e não ao de Aveiro? Apesar de serem muitas vezes referidas como as “praias de Aveiro”, fazem parte do município de Ílhavo. E os ilhavenses gostam de deixar isso bem claro! :)

A praia é uma das melhores da região da Ria de Aveiro, com um extenso areal, bem equipada e com o detalhe da presença do paredão, que eu gosto particularmente em termos visuais e que ajuda a produzir bons fundos e boas ondas para a prática de surf!

Localizar no mapa: Praia da Barra, Farol de Aveiro, Praia do Paredão, Café Farol

Costa Nova

Palheiros da Costa Nova, Ria de Aveiro

Os pitorescos palheiros da Costa Nova são, provavelmente, o local mais “instagramável” desta Road Trip pela Ria de Aveiro. Outrora utilizados para guardar alfaias de pesca – e mais tarde como habitação – pelas famílias de pescadores que se mudaram para cá depois da construção da barra do Porto de Aveiro, estas “casinhas às riscas” são hoje são uma das principais atracções turísticas da região. Muitos deles estão, também, destinados a Alojamento Local.

Não se sabe ao certo o porquê das riscas coloridas de diferentes cores, mas uma das hipóteses mais consensuais é que seria para os pescadores encontrassem mais facilmente o seu palheiro nos dias de nevoeiro, bastante comum e intenso nesta zona. As “más línguas” acrescentam que também serviam para que, quando estivessem com um copinho mais, não se enganassem na casa… :)

Para além dos palheiros e das casas típicas, a própria marginal e o parque central da Costa Nova são muito agradáveis para passear vagarosamente segundo o percurso da ria. E a praia, na continuação do areal da Praia da Barra, também é excelente!

Em termos gastronómicos, esta é uma terra para comer bom peixe e marisco! Algumas apostas seguras são os populares Restaurante Dóri ou Marisqueira da Costa Nova e, para um ambiente um pouco mais tranquilo e requintado, o Canastra do Fidalgo ou Clube de Vela. E, claro, não esquecer de ir ao famoso Zé da Tripa provar uma ou várias combinações deste doce característico que é um tipo de crepe enrolado à base de massa mole de bolacha americana e que pode levar chocolate, ovos moles, gelado, manteiga de amendoim… e tudo o que a imaginação for capaz de inventar!

Onde dormir na Costa Nova
Eu fiquei e recomendo o simpático e prático Costa Nova Hotel, situado bem no meio das ruelas entre as casas típicas. Veja também estas sugestões:
» Hotel Farol (Praia da Barra)
» Costa Nova Hotel
» Family Hostel
» Varandas da Ria

Ver mais alojamentos na Costa Nova

Localizar no mapa: Costa Nova, Parque Costa Nova, Zé da Tripa, Restaurante Clube de Vela, Canastra do Fidalgo, Restaurante Dóri, Marisqueira da Costa Nova

Praia da Vagueira

Praia da Vagueira, Ria de Aveiro

A Praia da Vagueira, pertencente ao concelho de Vagos, caracteriza-se por um extenso e plano areal que convida a longos passeios. Habitualmente, o mar aqui é forte, com ondas e algumas correntes traiçoeiras, pelo que deverá tomar as devidas precauções e obedecer sempre ás indicações dos nadadores-salvadores.

Junto ao paredão, o Casablanca Bar é o local ideal para descansar depois da caminhada ou para comer um preguiçoso pequeno-almoço ou brunch de Domingo. Se preferir, pode “apanhar” os passadiços e os trilhos que percorrem vários quilómetros entre a ria e o mar até à Praia do Areão.

Casablanca Bar, Vagueira

Mas o que distingue mesmo esta praia de todas as outras é possibilidade de testemunhar a mais antiga forma de pesca do mundo, a Arte Xávega, em que os pequenos barcos enfrentam corajosamente a rebentação de frente até atingirem distância suficiente para largar as redes. Tente ir bem cedo, quase ao nascer do sol, para conseguir aproveitar o momento ao máximo e, se tiver sorte, ainda poderá ajudar os pescadores locais a puxar as redes com a ajuda de tractores (antigamente usavam bois).

Para os apreciadores, o peixinho acabado de apanhar vai estar depois à venda no Mercado do Peixe ou pronto a saborear num dos vários restaurantes locais. Não posso falar por experiência própria, mas recomendaram-me o restaurante Mare.

Localizar no mapa: Praia da Vagueira, Casablanca Bar, Mercado do Peixe, Restaurante Mare

Vista Alegre

Museu Vista Alegre

Fundada em 1824, e reconhecida mundialmente pela excelência dos seus produtos, a Fábrica de Porcelana da Vista Alegre foi muito mais que uma “simples” industria. A sua história funde-se com a história do próprio lugar e das suas gentes que, desde o primeiro dia, começaram a ocupar o bairro operário edificado especificamente para albergar os trabalhadores da fábrica. Famílias inteiras migraram para a Vista Alegre e aí se foram instalando e construindo uma bonita comunidade.

Contíguo à fábrica, está hoje instalado o Museu Vista Alegre onde, para além se poder entrar em dois fornos gigantes e de aprender sobre as técnicas de fabrico, bem como admirar as variadíssimas peças e colecções em exposição, é possível voltar atrás no tempo através de imagens e relatos e, por alguns instantes, fazer também parte desta história.

Para além do Museu e do Bairro Operário, não deixe de visitar a Capela de Nossa Senhora da Penha de França (o bilhete para o museu inclui uma visita guiada à capela). Datada dos finais do século XVII e classificada como Monumento Nacional desde 1910, apresenta como características mais marcantes o túmulo do bispo D. Manuel de Moura Manuel, que originalmente mandou executar a obra, e a Árvore de Jessé pintada no tecto, considerada uma das maiores e mais perfeitas em toda na Europa.

Dica
Uma das suites do fantástico Hotel Montebelo Vista Alegre tem uma varanda interior com vista directa a privilegiada sobre o altar da capela!

O complexo da Vista Alegre tem sido alvo de diversas intervenções de recuperação nos últimos anos. Para além do museu e da renovação de todo o bairro social, destaca-se a abertura do Hotel Montebelo Vista Alegre, um hotel de 5 estrelas com vista panorâmica sobre a ria, um SPA completo com piscina interior, um restaurante de topo e um conjunto de espaços únicos espalhados por todo edifício e jardins onde se consegue ter momentos privados e sossegados de qualidade. Os quartos, super confortáveis e funcionais, estão distribuídos entre a ala nova e o antigo palácio dos fundadores da fábrica. Se tiver oportunidade, não deixe de viver esta experiência!

Localizar no mapa: Museu Vista Alegre, Capela Nossa Senhora da Penha de França, Hotel Montebelo Vista Alegre

Museu Marítimo de Ílhavo

Museu Maritimo de Ilhavo

Visitar o Museu Marítimo de Ílhavo foi uma boa surpresa! Em primeiro lugar, porque não estava à espera de encontrar um edifício tão audacioso que, por si só, constitui uma instalação moderna de arte pública reconhecida e premiada por diferentes instituições. Depois, porque as exposições, focadas no tema do mar e com especial destaque para a história da pesca do bacalhau nos mares da terra Nova e da Gronelândia, são muito interessantes e estão muito bem organizadas.

Para além da sala principal, onde é apresentada uma réplica em tamanho real de um iate bacalhoeiro (exterior e interior), bem como vários objectos, artefactos e antigos instrumentos de navegação, podemos ainda ver vários tipos de embarcações típicas da ria de Aveiro, como o moliceiro, o mercantel e as bateiras. No piso superior, está uma espectacular exposição de conchas e uma sala com imensas réplicas em miniatura dois vários tipos de barcos típicos de cada região do país.

Por último, temos o Aquário dos Bacalhaus, uma exposição dedicada à espécie Gadus morhua, o bacalhau do Atlântico, aquele que os portugueses pescam e consomem há vários séculos. Apesar de não ser adepto de ver animais em espaços fechados, reconheço que será uma experiência de conhecimento e lazer que fará as delicias especialmente dos mais novos.

O Museu Marítimo de Ílhavo é um testemunho da forte ligação das gentes de Ílhavo ao mar e à Ria de Aveiro e uma homenagem à sua diáspora ao longo de todo o litoral português e além-fronteiras.

Localizar no mapa: Museu Marítimo de Ílhavo

Aveiro

Aveiro, Portugal

E, finalmente, chegamos a Aveiro! Se ainda não conhece a “Veneza portuguesa” e aquela que é considerada uma das cidades mais bonitas do país, comece por fazer este Free Walking Tour. É o ideal para ter uma primeira impressão de centro da cidade e começar a conhecer um bocadinho da sua história.

A parti daí, a cidade é sua! A melhor forma de se deslocar é mesmo a pé mas, se preferir, pode também ir levantar uma BUGA (Bicicleta de Utilização Gratuita de Aveiro) na loja que existe em frente ao Mercado Manuel Firmino.

Desde o circuito Art Nouveau, que convida a descobrir um conjunto de 28 edifícios e monumentos espalhados pela cidade (vá levantar um mapa ao Museu de Arte Nova), até ao inevitável passeio de moliceiro pelos canais, sem esquecer de provar os famosos doces de ovos moles, há muito para fazer em Aveiro.

Uma das actividades que mais gostei de fazer foi visitar as salinas. Não só é visualmente muito bonito e o melhor local para assistir ao pôr-do-sol, como se aprende imenso sobre a produção e as características terapêuticos do sal. E, durante os meses de Verão, ainda poderá tomar um banho salgado e fazer tratamentos no SPA Salinico!

De preferência, reserve pelo menos uma noite e um dia completo para aproveitar e explorar a cidade. Para além das atracções turísticas, há muitos restaurantes, cafés e esplanadas onde sabe bem deixar passar o tempo. Aveiro é uma cidade muito romântica e um passeio a pé, ao final do dia, pelas pontes do canal central é infalível. Fica a dica! :)

Onde dormir em Aveiro
Aveiro tem uma vasta oferta de todo o tipo de alojamentos. O Hotel Moliceiro é um clássico da cidade e uma aposta sempre segura e o Hotel da Salinas um verdadeiro achado com uma atenção de excelência. Pesquise outras alternativas no Booking ou no Airbnb, mas comece por ver estas sugestões:
» Hotel das Salinas
» Hotel Moliceiro
» Melia Ria Hotel & Spa
» Aveiro Rossio Hostel
» Aveiro Rossio Bed & Breakfast

Ver mais alojamentos em Aveiro

Localizar no mapa: Canal Central de Aveiro, Loja BUGA, Museu de Arte Nova, Praça da República, Salinas de Aveiro,

Mapa para visitar a Ria de Aveiro

Turismo Centro Portugal
 
Planeie a sua viagem com estas ferramentas
Faça como eu! Estas são as ferramentas que utilizo no planeamento e preparação das minhas viagens. Ao utilizar os links abaixo, poderá ter alguns benefícios e, ao mesmo tempo, ajuda-me a manter o blog sem pagar nada mais por isso.
Voos
Encontre os melhores voos no Skyscanner ou no Kiwi.com
Alojamento
Reserve o seu hotel, hostel ou guesthouse no Booking ou no Airbnb
Seguro de viagem
Faça sempre um bom seguro de viagem com a World Nomads ou a IATI
Tours e bilhetes
Marque os seus tours e compre bilhetes para atracções na GetYourGuide ou na Civitatis
Rent-a-car
Consiga os melhores preços de aluguer de carros na Rentalcars ou na Economy Car Rentals
Cartões Bancários
Poupe nas taxas de levantamento com os cartões Curve, N26 ou TransferWise
 

Mais dicas de viagem sobre Portugal

Deixe um comentário