Guia prático e essencial para visitar Budapeste

Budapeste, a jóia do Danúbio

Budapeste, a capital da Hungria, é uma das cidades mais bonitas da Europa e um destino escolhido por milhares de turistas e viajantes todos os anos. Tem a curiosidade de o seu próprio nome traduzir a forma como nasceu, da união do que eram antigamente duas cidades distintas: Buda e Peste, separadas pelo majestoso rio Danúbio.

Em tempos segunda capital do grande império Austro-Húngaro, Budapeste é hoje uma cidade vibrante, com um misto de história e tradição com modernidade, estando classificada como Património Mundial pela UNESCO.

Este um guia muito completo que preparei para ajudar a planear uma viagem independente a esta fantástica cidade. Se preferir, pode navegar directamente para o conteúdo que procura usando os seguintes links:

» Como chegar a Budapeste
» Clima, idioma e moeda em Budapeste
» Transporte do aeroporto até ao centro de Budapeste
» Onde dormir em Budapeste
» Como se deslocar em Budapeste
» Roteiro de 3 dias para visitar Budapeste

Como chegar a Budapeste

Desde Portugal, a Wizz Air tem um voos directos a partir de Lisboa, Porto e Faro e a TAP Portugal a partir de Lisboa. Caso a viagem inclua outras cidades (Praga, Viena, etc), outra opção válida pode ser voar para uma dessas cidades e, depois, viajar de comboio para Budapeste. A Wizz Air, Czech Airlines e a TAP Portugal têm voos directos para Praga.

Desde o Brasil, não há voos directos para Budapeste, pelo que a solução será fazer uma conexão noutra cidade europeia ou, caso seja uma viagem que inclua vários destinos, encontrar voos low cost dentro da Europa ou viajar de comboio.

Wizz Air para Budapeste

Em todo o caso, o mercado da aviação está sempre a mudar, pelo que o ideal é pesquisar alternativas de voos num site agregador como o Momondo ou o Skyscanner. Para pesquisar e comprar viagens de comboio na Europa, o site GoEuro é uma óptima opção.

Pesquisar voos    Pesquisar comboios

 

Passaporte e Visto
Sendo a Hungria um estado-membro da União Europeia, os cidadãos portugueses precisam apenas do Cartão de Cidadão para entrar e viajar no país. Os cidadãos brasileiros precisam de passaporte mas não precisam de visto para estadias até 90 dias.

Clima, idioma e moeda em Budapeste

Budapeste é uma cidade que se pode visitar durante todo o ano mas, na minha opinião, as melhores alturas para visitar Budapeste são durante a Primavera (Março-Junho) e o Outono (Setembro-Novembro).

Os Invernos (Dezembro-Fevereiro), costumam ser rigorosos nesta zona da Europa, com bastante frio e neve, sendo uma época em que as cidades ficam muito bonitas vestidas de branco mas que pode dificultar um pouco em termos de visitas de turismo.

Durante os meses de Verão, de Junho a Agosto, costuma estar um tempo óptimo e bastante calor (eventualmente demasiado nos dias mais quentes). É, também, nesta altura que a cidade está mais cheia de turistas.

O idioma oficial da Hungria é o Húngaro (ou Magyar). É uma língua com algumas parecenças com o Finlandês, muito difícil de entender e falar. Mas isso não é problema, pois em Budapeste toda a gente fala também inglês, especialmente nos negócios e as pessoas ligadas ao turismo. Fora de Budapeste, já não é bem assim.

O fuso horário na Hungria é GMT +2. As tomadas eléctrica são do Tipo C (dois pinos redondos igual a Portugal) com voltagem de 220v, pelo que os viajantes portugueses não precisam de levar adaptador, mas alguns viajante brasileiros poderão precisar.

tomada tipo c tomada budapeste

Apesar da Hungria pertencer à União Europeia, ainda não faz parte da chamada Zona Euro, pelo que a sua moeda oficial continua a ser o Florim Húngaro (HUF). Os cartões de crédito e débito são vulgarmente aceites para pagamento e levantamentos nas ATMs, sendo que os Mastercard e Maestro são preferidos em relação ao Visa.

Cartões bancários para viajar
Para reduzir as taxas de levantamentos e pagamentos na Hungria, recomendo a utilização do cartão Revolut ou outro semelhante. Veja neste link quais são os melhores cartões bancários para viajar.

Transporte do aeroporto de Budapeste até ao centro da cidade

O aeroporto de Budapeste (Liszt Ferenc International Airport) fica a cerca de 20 quilómetros do centro da cidade. Para fazer este trajecto há diferentes opções e a melhor solução vai depender da vontade e orçamento de cada um e, eventualmente, do horário de chegada do voo.

Autocarro 100E (shuttle bus)

O autocarro (ónibus) público 100E (Airport shuttle bus) sai do aeroporto a cada 20 minutos em direcção a “Deák tér”, com paragem possível em “Kálvin tér” e “Astoria”. A partir de Deák tér pode-se caminhar até ao destino final ou apanhar qualquer outro transporte. O bilhete custa 900 HUF e pode ser comprado numa máquina ao lado da paragem (dinheiro e cartões) ou directamente ao condutor (em dinheiro). Este autocarro funciona todos os dias no horário 05:00-01:20 e o trajecto completo demora cerca de 45 minutos.

Onibus aeroporto Budapeste

Autocarro 200E + Metro

O autocarro (ónibus) público regular 200E faz o trajecto entre o aeroporto e a estação de metro Kőbánya-Kispest (linha M3). Daí, pode-se apanhar o metro qualquer destino no centro da cidade. O bilhete custa 350 HUF e pode ser comprado numa máquina ao lado da paragem (dinheiro e cartões) ou directamente ao condutor (em dinheiro). Este autocarro funciona todos os dias, durante 24 horas, e demora mais tempo porque pára em várias paragens.

Atenção: o metro funciona entre as 05:00 e as 23:30. Para informações mais detalhadas e actualizadas sobre os transportes públicos, pode consultar o site do Centro de Transportes de Budapeste.

Transfers privados

A miniBUD é a principal operadora de transfers no aeroporto de Budapeste e as reservas podem ser feitas online com antecedência ou à chegada. Outra boa alternativa é o transporte oferecido pela Cityrama, uma das principais agências da Hungria. Estas opções são, obviamente, mais caras que o autocarro público mas têm a grande vantagem de nos deixar à porta do hotel ou outra morada.

transfer aeroporto budapeste

Reservar transfer do aeroporto

 

Táxi

A empresa de táxis Fotaxi tem o exclusivo de operação no Aeroporto Liszt Ferenc. O custo aproximado de uma viagem até ao centro da cidade é cerca de 25€, dependendo do local exacto e das condições de trânsito. A melhor forma de evitar ser enganado é fazer o pedido do táxi no balcão da Fotaxi existente na zona das Chegadas e perguntar o custo estimado. É altamente desaconselhado apanhar um táxi não oficial fora no recinto do aeroporto. Na Hungria não há Uber.

Rent-a-car

Alugar um carro é sempre uma opção, não tanto para visitar Budapeste em si mas, principalmente, se o destino for outro local na Hungria ou países vizinhos. Eu, por exemplo, aluguei um carro para ir até ao Lago Balaton. Como seria de esperar, há várias empresas de rent-a-car a operar no aeroporto e a minha recomendação é pesquisar e alugar através da Rentalcars.com ou da Economy Car Rentals.

Onde dormir em Budapeste

Uma das decisões mais importantes a tomar quando se visita uma grande cidade é onde ficar a dormir. Não me refiro apenas ao hotel ou alojamento específico mas, antes disso, à zona ou bairro que melhor vai satisfazer as nossas necessidades e gostos pessoais.

Budapeste pode, à primeira vista, parecer uma grande e esmagadora metrópole, o que pode dificultar a decisão. Mas depois de lá estar, vai chegar à conclusão que é uma cidade fácil de entender e que os melhores bairros para se alojar estão “colados” uns aos outros e se percorrem facilmente através do excelente sistema de transportes públicos ou mesmo a pé.

Reserve o seu hotel, hostel ou apartamento com antecedência. Não faz sentido ir para lá procurar localmente. Actualmente, eu só utilizo o Booking.com (para hotéis e hostels) e o Airbnb (para estúdios e apartamentos).

Oferta Airbnb
Ainda não tem conta no Airbnb? Utilize o meu link para se registar e ganhe logo saldo para a sua primeira estadia! Clique AQUI.

 

onde dormir budapeste

Budapeste I: Budavár (Castle District)

Pouca gente lhe vai recomendar ficar do lado Buda. Vão-lhe dizer que é calmo demais, que há pouca coisa para fazer à noite, que os transportes são mais limitados e vai ter que a encosta todos os dias, etc. Tudo isso pode ser verdade mas… e daí? Se for isso que gosta e procura, na minha opinião pode ser ideal para uma estadia mais romântica, onde poderá ir jantar tranquilamente e ter um final de dia e uma noite mais tranquila, longe da agitação de Peste. O Hilton é um grande hotel de referência e tem vistas descomunais sobre o rio Danúbio, o Parlamento e o lado Peste, mas há vários outros hotéis de charme mais pequenos, hostels, bed & breakfast, apartamentos, etc.

Principais atracções: Citadella, Estátua da Liberdade, Castelo de Buda, Bastião dos Pescadores e Igreja de Matias, Banhos Termais Gellért, Banhos Termais Rudas, Chain Bridge.

Ver alojamentos no Distrito I

 

Budapeste V: Belváros (centro)

Ladeando o rio Danúbio, desde a Margaret Bridge até à Liberty Bridge, esta é o bairro mais central e mais caro de Budapeste, onde se situam uma grande parte das suas atracções e pontos de interesse turístico. Aqui, vai estar perto de “tudo” e vai poder sair a pé para jantar, ver a cidade à noite e ir a um bar beber um copo. Na minha opinião é, sem dúvida, a melhor zona para ficar alojado e onde se situam os hotéis das principais cadeias mundiais, como o Marriot, o InterContinental, o Sofitel ou o Iberostar. Se quiser mesmo perder a cabeça, veja o Four Seasons Palace! Mas, para orçamentos mais limitados, também há muitas opções mais equilibradas. É só uma questão de pesquisar!

Principais atracções: Parlamento, Sapatos na margem do Danúbio, Chain Bridge, Basílica de Santo Estevão, Liberty Bridge, Central Market Hall e outros.

Ver alojamentos no Distrito V

 

Budapeste VI: Terézváros (Avenida Andrássy)

Localizado na parte mais nordeste da cidade, este bairro é dominado pela extensa Avenida Andrássy e vai até ao Parque da Cidade. É uma zona mais ampla, com ruas e espaço mais largos que no centro, e muito bem servida de transportes públicos, nomeadamente o metro e autocarros. Aqui vai encontrar um ambiente mais “jovem”, alguns museus e outras atracções turísticas e muitos restaurantes e cafés bem arranjados. É um bairro versátil, onde se podem encontrar diferentes tipos de alojamentos (bons hotéis, hostels, apartamentos), provavelmente mais económicos que no Distrito V, e capaz de agradar a todo o tipo de viajantes.

Principais atracções: Avenida Andrássy, Parque da Cidade, Banhos termais Széchenyi, Praça dos Heróis e Monumento do Milénio, Museu House of Terror.

Ver alojamentos no Distrito VI

 

Budapeste VII: Erzsébetváros (Bairro Judeu)

O Distrito VII de Budapeste, em grande parte ocupado pelo Bairro Judeu, é o bairro mais boémio da cidade e a principal zona de vida nocturna, onde se encontram os mais conhecidos “ruin bars” da capital húngara. Para além dos bares, há também muitos restaurantes com comidas deliciosas, pequenos cafés e um ambiente artístico propício para mentes mais “alternativas”. O ponto negativo é que o barulho pode incomodar, pelo que se recomenda uma leitura atenta dos comentários de cada alojamento.

Principais atracções: Bairro Judeu, Grande Sinagoga de Budapeste, Szimpla Kert e outros ruins bars.

Ver alojamentos no Distrito VI

 

Como se deslocar em Budapeste

Constituída por metro, tram, autocarros, barcos e comboios suburbanos, Budapeste tem uma óptima e eficiente rede de transportes públicos. Além destes, existem ainda as bicicletas citadinas e os táxis.

budapest card

Para a maioria dos visitantes provavelmente compensará comprar o Budapest Card, uma vez que, para além de entradas gratuitas e vários descontos em atracções turísticas, este inclui a utilização ilimitada do sistema de transportes públicos. Há cartões de 1, 2, 3, 4 e 5 dias.

Comprar Budapest Card

 

Metro em Budapeste

O Metro é, sem dúvida, o meio de transporte mais eficiente para andar no centro da cidade. Se não optar por comprar o Budapest Card, pode comprar bilhetes únicos, pacotes de 10 bilhetes ou passes de 24, 48 ou 72 horas. Os mesmo podem ser comprados nas máquinas automáticas existentes em todas as estações ou, nas que existe, no balcão de apoio. Existem 4 linhas (M1 Amarela, M2 Vermelha, M3 Azul, M4 Verde ). A linha M1 foi a primeira linha de metro a ser construída em toda a Europa continental e acaba por ser também uma das atracções da cidade. Deák Ferenc tér é o principal ponto de referência, a “estação central” onde todos os transportes confluem e se cruzam.

metro budapeste
Clique na imagem para fazer download do mapa completo.

 

Autocarros em Budapeste

O autocarro é uma excelente forma de chegar onde o metro não chega e, os dois conjugados, cobrem praticamente toda a cidade. Os autocarros em Budapeste são modernos e têm bastante qualidade e o serviço é bom e, genericamente, pontual. Os bilhetes são os mesmo que os do Metro e os portadores do Budapest Card podem viajar sempre que quiserem sem pagar.

Táxis em Budapeste

O melhor mesmo é tentar evitar andar de táxi em Budapeste pois, tal como acontece em muitas capitais, há espaço e relatos de alguns esquemas. Se tiver mesmo que ser, use apenas os táxis amarelos licenciados e confirme sempre a tarifa no autocolante colado na porta traseira. Se não tiver o autocolante, não entre! E, mesmo assim, peça ao condutor para lhe dar uma estimativa do custo da viagem. Na Hungria não há Uber. A única plataforma semelhante que opera em Budapeste é a Taxify, que funciona com os táxis “normais”.

taxi budapeste
Verifique sempre a tarifa na porta traseira do táxi.

O que fazer, ver e visitar em Budapeste

Na minha opinião, a capital da Hungria precisa de, pelo menos, 3 dias completos para se conseguir aproveitar minimamente a cidade e ver as suas principais atracções.

Assim, e para facilitar o planeamento, deixo uma sugestão de roteiro de 3 dias em Budapeste. O ordem dos dias não é importante e pode-se trocar conforme der mais jeito mas, em termos de eficiência de percurso, será mais ou menos assim.

Dia 1: Roteiro para visitar Budapeste

Se é como eu, não vai resistir a visitar o coração de Budapeste e algumas das suas atracções principais logo no primeiro dia. Vá para a beira-rio e prepare-se para caminhar, com tempo e descansadamente, desde o Parlamento até a Liberty Bridge, com alguns pequenos desvios pelo caminho!

Parlamento Húngaro

Parlamento Hungaro

O Parlamento Húngaro é, sem dúvida nenhuma, o edifício mais emblemático da cidade e uma das principais atracções turísticas de Budapeste. É o segundo maior parlamento da Europa e o terceiro maior do mundo, atrás do da Roménia e da Argentina. Para além do seu exterior, que vale a pena ver tanto durante o dia como à noite, existem visitas guiadas ao seu interior (em vários idiomas), que valem muito a pena! É altamente aconselhado comprar os bilhetes online com antecedência no site oficial Jegymester ou no GetYourGuide, pois esgotam muito rapidamente. Em último caso, há um número limitado de bilhetes que são vendidos no próprio dia nas bilheteiras, mas tem que se ir muito cedo e a fila costuma ser grande.

Sapatos na margem do Danúbio

Sapatos na margem do Danúbio, Budapeste

Simples mas, na minha opinião, um dos locais com mais significado em Budapeste. O memorial “Shoes on the Danube Bank” presta homenagem aos milhares de judeus assassinado durante a Segunda Guerra Mundial. Aqui mesmo, nas margens do Rio Danúbio, eram enfileirados e obrigados a tirar os sapatos (aparentemente por serem um artigo valioso na época), antes de serem fuzilados e os seus corpos simplesmente caírem no rio para serem lavados pela corrente. Um nó na garganta que vale a pena sentir, também como homenagem a essas pessoas.

Chain Bridge

budapeste chain bridge

A Chain Bridge, a primeira ponte de pedra a ligar Buda e Peste e a segunda travessia permanente construída em todo o Rio Danúbio, é hoje uma das principais atracções e um verdadeiro ponto de encontro na cidade de Budapeste.

Na verdade, durante muito tempo a única ligação existente era uma ponte flutuante e, reza a história, quando o pai do Conde István Széchenyi, uma das figuras mais importantes na Hungria durante o século XVIII, morreu em Viena em Dezembro de 1820, este ficou “preso” durante uma semana porque a ponte estava fechada devido ao Inverno rigoroso que se fazia sentir. Nesse dia, Széchenyi jurou que ia arranjar forma de construir uma ponte permanente entre as duas margens! O nome oficial da ponte é Széchenyi Chain Bridge, em sua homenagem.

budapeste chain bridge

Para além de fazer uma ligação quase directa desde Peste até ao Castelo de Buda, vale apenas simplesmente atravessar e passear na ponte, tanto de dia como à noite, quando a iluminação lhe dá um contexto e uma beleza diferente.

Basílica de Santo Estevão (St. Stephen’s)

budapeste basilica

Com capacidade para mais de 8.000 pessoas, a Basílica de Santo Estêvão é a maior igreja de Budapeste. É também o seu edifício mais alto e, de qualquer sítio que se olhe, lá está a sua cúpula sempre a espreitar! O interior é lindíssimo e vale a pena a visita mesmo para quem não é católico ou não liga muito a igrejas. É possível subir à cúpula, de escadas ou elevador, e desde aí aproveitar uma das melhores vistas sobre a cidade. À noite, vale a pena passar por lá para ver a iluminação e, porque não, ficar por lá a jantar ou a beber um copo num dos restaurantes e bares que existem na praça e ruas adjacentes. Em alguns dias seleccionados, há concertos de orgão abertos ao público. Pode ver os horários e comprar bilhetes através do link: Concertos Basílica de Santo Estêvão.

Igreja Paroquial do Centro

 

igreja budapeste

Mesmo a chegar à Elisabeth Bridge, a Igreja Paroquial do Centro pode passar despercebida mas vale a pena conhecer. Diz a sua história que é o edifício mais antigo de Peste e que atravessou várias épocas e estilos (romano, barroco, gótico), tendo inclusivamente sido utilizada como mesquita pelos turcos durante o século XII. À sua frente tem um pequeno mas simpático jardim.

Central Market Hall

budapeste mercado central

Para quem gosta de mercados, esta é, sem dúvida, uma paragem “obrigatória” no passeio pela marginal do rio Danúbio. Apesar de ser um local já bastante conhecido e frequentado por turistas, muitos locais continuam a fazer aqui as suas compras de dia-a-dia. É um bom sítio para sentir um bocadinho o ambiente e comer um snack a meio da tarde! ;)

Ponte da Liberdade (Liberty Bridge)

budapeste liberty bridge

A Liberty Bridge é um dos locais favoritos de Budapeste, tanto de turistas como de habitantes locais. Por um lado, pela sua localização central mas, principalmente, porque é muito fotogénica, seja de dia ou de noite! Atravesse a ponte a pé desde o Central Market Hall até ao Hotel e Termas de Gellért e vai encontrar muita gente, jovens e menos jovens, a tirar selfies ou fotos românticas e engraçadas. Entre na onda! :) O tram também passa na ponte e, se for paciente e tiver alguma criatividade, conseguirá tirar excelentes fotos.

Uma viagem no Tram nº 2

budapeste tram 2

O trajecto do tram nº2 de Budapeste já foi referido como o mais bonito da europa. Eu prefiro deixar essa avaliação à justiça de cada mas, de facto, é muito bonito e vale a pena fazer! Ora, grande parte deste percurso passa precisamente pelos pontos recomendados acima, deambulando o Danúbio. Para quem não gosta ou não pode caminhar, esta pode ser uma excelente opção e ir saindo em cada paragem. Para quem quer fazer o trajecto a pé, pode no início ou no final do dia, fazer também a viagem no tram toda seguida. Entre na estação de Jászai Mari tér e vá até Fővám tér M (Central Market Hall e Liberty Bridge) ou vice-versa. Quem tiver comprado o Budapest Card tem as viagens de tram todas incluídas!

Dia 2: Roteiro para visitar Budapeste

Este poderá ser um dia mais tranquilo e relaxado, bem necessário para descansar um pouco do dia anterior. Vai andar mais pela parte nordeste da cidade, experimentar finalmente um dos famosos banhos termais e conhecer este fenómeno dos “ruin bars” de Budapeste.

Avenida Andrássy

Avenida Andrassy, Budapeste

A Avenida Andrássy é a das principais artérias da cidade e, com um misto de carinho e provocação, muitas vezes apelidada de “Campos Elísios de Budapeste”. Esta longa e larga avenida arborizada, classificada como Património Mundial pela UNESCO, faz a ligação entre Deák Ferenc (o principal ponto de convergência da cidade) e o City Park (onde fica a Heroes’ Square e os banhos termais de Széchenyi). Passeando pela avenida pode ver-se vários edifícios centenários com bonitas fachadas, lojas de luxo como a Rolex, a Louis Vuitton ou a Gucci e simpáticos cafés e restaurantes com esplanada na calçada. O cruzamento Oktogon, anteriormente chamado de Mussolini Square, é uma referência para orientação. Alguns destaques deste circuito são a Ópera Estatal da Hungria, que oferece visitas guiadas com mini-concerto incluído, o museu House of Terror, que apresenta de forma muito real os períodos mais terríveis da história húngara. Se quiser fazer uma pausa para descansar e tomar uma bebida, o 360 Bar tem uma fantástica sobre a cidade. Para quem não gosta de caminhar ou tem algumas limitações, há bicicletas citadinas para utilizar ou pode-se apanhar a linha M1 do metro, que percorre toda a avenida e é gratuito para quem comprar o Budapest Card, e ir saindo nas estações que se quiser.

City Park (Parque da Cidade)

Budapeste City Park

O Parque da Cidade está situado numa das pontas da Avenida Andrássy e, para além de ser um espaço muito agradável por si só (onde se pode passear, fazer exercício, correr, andar de barco a remos, descansar na relva, etc), engloba algumas atrações de Budapeste, como o Castelo de Vajdahunyad, a Praça dos Heróis e o Monumento do Milénio e, claro está, os banhos termais de Széchenyi. No Inverno, uma parte do lago transforma-se numa magnífica pista de patinagem no gelo!

Banhos termais Széchenyi

Banhos Szechenyi, Budapeste

Experimentar os banhos termais de Budapeste é uma actividade incontornável em qualquer viagem a esta capital europeia que já vem de muito tempo atrás. De facto, apesar de ser conhecida como a “cidade dos SPAs” há apenas 80 anos, existem relatos que a qualidade terapêutica das suas águas e complexos termais foi atestada pelos Romanos há mais de 2.000 atrás. Os banhos de Széchenyi, com mais de 20 piscinas, são os maiores de Budapeste e, na realidade, de toda a Europa.

Informação prática
» Há uma estação de metro mesmo à porta (Széchenyi fürdő)
» Os bilhetes podem ser comprados no local ou, para evitar filas, antecipadamente no GetYourGuide.
» Levar fato de banho e chinelos. Touca só é obrigatória na piscina de natação.
» Toalha pode-se levar ou alugar lá (1.000 HUF)
» Entrada inclui cacifo ou cabine privada para trocar de roupa e deixar as coisas. Os cacifos são grandes, espaçosos e seguros. Têm uma chave electrónica, que é uma braçadeira de borracha que levamos no pulso tipo relógio. Deixei telemóvel, carteira, etc.
» Contar com, pelo menos, 3 horas. Há muitas piscinas quentes e frias, saunas, etc.
» Pode-se levar telemóvel e máquina. Eu deixei no cacifo e depois fui buscar para tirar algumas fotos.

 

Comprar entrada banhos Széchenyi

 

Existem mais de 10 complexos de banhos termais em Budapeste! O Széchenyi é, provavelmente, o mais conhecido e mais visitado mas, se quiser conhecer outros (o que eu acho muito bem!), pode ver a lista completa no site oficial dos SPAs de Budapeste. Para referência, recomendaram-me também o Gellért e o Rudas.

Heroes’ Square e Millennium Monument

Heroes Square, Budapeste

A Praça do Heróis, é uma das maiores e mais importantes praças de Budapeste. É onde está implantado o famoso Monumento do Milénio, construído em 1896 para comemorar os mil anos do país e onde se podem ver as figuras de antigos chefes tribais e outras importantes personagens da história da Hungria. Se possível, visite esta praça também à noite porque a iluminação é maravilhosa!

Grande Sinagoga de Budapeste

Grande Sinagoga de Budapeste

Localizada, obviamente, no Bairro Judeu, a Sinagoga da Rua Dohány é a maior da Europa e a segunda maior do mundo, com capacidade para cerca de 3.000 pessoas sentadas. O imponente edifício pode ser visitado por dentro, onde se encontra um cemitério judeu e a escultura Árvore da Vida, na qual cada folha tem escrito o nome de um judeu assassinado durante o Holocausto. Compre o bilhete AQUI.

Szimpla Kert (ruin bar)

Ruin bars, Budapeste

Os “ruin bars” são, hoje em dia, uma das principais atracções de Budapeste. Este movimento começou em 2004 quando alguns inquietos e boémios empreendedores resolveram apoderar-se de um edifício em ruínas do Distrito VII (Bairro Judeu) e começar a vender bebidas baratas a jovens artistas. A partir daí, os ruin bars foram aparecendo um pouco por toda a cidade (uns abriam apenas durante os meses de Verão e fechavam logo depois), mas continua a ser no Bairro Judeu que se concentram mais. O Szimpla Kert é o mais antigo e mais famoso deles todos e, se apenas puder conhecer um, esta é uma exelente escolha!

Dia 3: Roteiro para visitar Budapeste

Este é o dia para explorar o lado Buda da cidade e, ao cair da noite, embarcar num maravilhoso cruzeiro pelo rio Danúbio. Saia cedo e ande com muita calma, pois vai ser uma longa jornada!

Citadella e Estátua de Liberdade

budapeste estatua liberdade

O forte existente no topo do Gellért Hill (Monte São Geraldo), construído pelos Austríacos e posteriormente ocupado por Nazis e Comunistas, representa uma longa história de opressão para o povo Húngaro. Mas, hoje em dia, o mesmo espaço simboliza também independência e liberdade. Mesmo ao seu lado, a figura feminina da Liberty Statue vem, segundo os locais, guardando e tomando conta de Budapeste desde 1947. A partir deste ponto tem-se uma das melhores vistas da cidade!

budapeste vistas

Pode-se chegar à Citadella apanhando o Metro até à estação de Móricz Zsigmond körtér e, desde aí, o autocarro 27 até ao topo. Tente ir de manhã pela fresca e leve água. Se for um dia de muito calor, vai precisar! Com o Budapest Card as viagens nos transportes públicos são gratuitas.

Castelo de Buda (Buda Castle)

Buda Castle, Budapeste

O Castelo de Buda é o enorme e massivo complexo, com uma cúpula a meio, que se vê olhando para Buda desde o centro histórico de Peste. Historicamente, foi a residência oficial dos reis da Hungria, pelo que também era conhecido por Palácio Real ou Castelo Real. Hoje em dia, alberga a Galeria Nacional Húngara, o Museu de História de Budapeste e a Biblioteca Nacional.

Castelo de Buda

budapeste vista palacio

Para além dos museus, o grande pátio e a zona de ar-livre é de aproveitar até porque daqui tem-se a melhor vista possível sobre a cidade! Para chegar ao Castelo de Buda basta atravessar a Chain Bridge e subir por um dos caminhos e escadarias até lá em cima. Para os mais preguiçosos ou com mobilidade reduzida, há também um funicular.

Igreja de Matias (Matthias Church)

budapeste igreja matias

Apesar do seu nome oficial ser “Igreja de Nossa Senhora”, esta igreja localizada em pleno coração do Castle District, é normalmente conhecida por Matthias Church ou Matyas Templom. Foi construída no ano de 1015, depois do país ter sido convertido ao cristianismo, e reconstruída num estilo gótico no século XIV que faz lembrar os nossos Mosteiro dos Jerónimos e Mosteiro da Batalha. Não deixem de dar uma volta completa pelo exterior para reparar em todos os pormenores, especialmente no lindíssimos telhados em mosaico. Se quiserem conhecer por dentro (eu já não cheguei a tempo mas dizem que vale a pena), convém saber que o horário de visitas termina às 17:00.

Bastião dos Pescadores (Fisherman’s Bastion)

budapeste fishermans bastion

budapeste bastiao pescadores

Apesar de parecer um forte, o Bastião dos Pescadores nunca foi propriamente utilizado como posto de defesa militar, mas apenas como ponto de observação controlado pela Associação dos pescadores locais (daí o nome Bastião dos Pescadores). As suas 7 torres representam as 7 tribos Húngaras e, desde daí e dos seus terraços, consegue-se ter uma vista impressionante sobre o Danúbio, Peste, Margaret Island e a colina de Gellért. Há diferentes tipos de bilhetes, para diferentes zonas, e também espaços que se pode visitar gratuitamente durante o dia ou à noite. É um edifício muito fotogénico!

Há muitas outras coisa para ver nesta zona de Buda. Vá com tempo para pode passear pelas ruelas, ir a um pequeno museu ou galeria, parar num café para tomar alguma coisa, etc.

Cruzeiro nocturno no rio Danúbio

budapeste chain bridge

Cruzeiro Danúbio, Budapeste

Digam o que disserem, nenhuma viagem a Budapeste pode terminar sem um cruzeiro nocturno no rio Danúbio! Pode parecer um cliché e uma daquelas coisas que todos os turistas fazem mas… é mesmo assim e não adianta tentar fugir! :) Durante o percurso consegue-se ter uma noção muito diferente da cidade e umas vistas magníficas para várias atracções iluminadas, como o Parlamento, o Buda Castle, a Chain Bridge, etc. A oferta de cruzeiros é enorme, com barcos de todas as dimensões e com diferentes serviços, desde o simples passeio até a um jantar à luz da velas ou um concerto de gala.

Cruzeiro Danúbio, Budapeste

Sendo flexível, é relativamente fácil arranjar um barco. Basta recolher alguns folhetos na rua e telefonar para reservar ou aparecer directamente nos cais de embarque (neste caso, convém ir muito cedo). Eu fiz com a Admiral River Cruises, apesar de simples, gostei. Também é possível reservar online com antecedência, garantindo assim o lugar e ficar com tudo logo tratado. Deixo algumas sugestões:
Cruzeiro económico com bebida
Cruzeiro dia e noite com viagens ilimitadas
Cruzeiro com jantar buffet
Cruzeiro com jantar à luz das velas
Cruzeiro com música ao vivo (com ou sem jantar)

Tours e actividades recomendadas

 
Planeie a sua viagem com estas ferramentas
Faça como eu! Estas são as ferramentas que utilizo no planeamento e preparação das minhas viagens. Ao utilizar os links abaixo, poderá ter alguns benefícios e, ao mesmo tempo, ajuda-me a manter o blog sem pagar nada mais por isso.
Pesquisar voos
Pesquise os seus voos num agregador como o Skyscanner ou Momondo.
Alojamento
Reserve o seu hotel, hostel ou guesthouse no Booking ou Airbnb.
Seguro de viagem
Faça sempre um bom seguro de viagem com a World Nomads ou Globelink.
Tours e bilhetes
Encontre tours à medida e compre bilhetes para atracções no GetYourGuide ou Viator.
Rent-a-car
Consiga os melhores preços de aluguer de carros na Rentalcars ou Economy Car Rentals.
Cartões Bancários
Poupe nas taxas de levantamentos em viagem com os cartões Revolut ou N26.
WiFi e Internet Móvel
Tenha internet ilimitada em qualquer país do mundo com o Skyroam.

Deixe um comentário