Dengue

O Dengue é considerado um dos principais problemas de saúde pública de todo o mundo. Está presente na Ásia, África, Caraíbas e América do Sul, especialmente durante as estações das chuvas. No Brasil, é habitual ocorrerem surtos de Dengue com alguma regularidade.

A transmissão ocorre pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti, que adquiriu o vírus ao picar um indivíduo doente. O mosquito infectado, transmite então a doença através da sua picada a outros indivíduos, mantendo assim a cadeia de transmissão da doença. O mosquito pica durante o dia, principalmente de manhã cedo e ao final da tarde, e o período de incubação varia entre 3 a 15 dias.

Na maioria dos casos (Dengue Clássico), a doença resolve-se espontaneamente sem deixar sequelas, sendo por isso considerada como uma “gripe tropical”. Mais raramente, pode dar complicações na fase aguda, com hemorragias internas e queda da tensão arterial (Dengue Hemorrágico) mas, mesmo assim, com tratamento de suporte adequado, a mortalidade com esta forma de Dengue pode ser inferior a 1%.

Os sintomas do Dengue Clássico podem assemelhar-se aos de uma gripe intensa e incluem febre alta de início súbito, dores de cabeça, dores retro-oculares, dores musculares e articulares, náuseas, vómitos, manchas na pele e erupção cutânea.

Já no Dengue Hemorrágico, os principais sintomas são dores abdominais severas e contínuas, dor no fígado (debaixo das costelas, do lado direito), tonturas, desmaio, pele fria e pegajosa, suores frios, hemorragias, sangramentos do nariz, boca ou gengivas, pulso fraco e rápido e sede excessiva.

Não existe nenhuma vacina, medicação profiláctica ou tratamento específico para o Dengue. Para evitar a doença deve-se manter distância dos locais habituais de reprodução do mosquito, ou seja, qualquer recipiente usado para juntar ou armazenar água. Alguns locais frequentes são pratos e vasos de plantas, panelas cisternas, garrafas, latas, pneus abandonados e calhas de telhado. A fêmea do mosquito coloca os seus ovos nesses recipientes com água e em redor de casas, escolas e outras áreas urbanas.

Deve-se, também, tomar sempre as medidas habituais para evitar picadas de mosquitos, nomeadamente:

1. Aplicar regularmente repelente de insectos nas partes do corpo expostas (cara, mãos, pescoço, orelhas, pés, tornozelos, etc), particularmente a partir do entardecer. Os repelentes com a substância DEET são os mais eficazes.
2. Usar roupas claras com mangas e pernas compridas. Pode-se também aplicar um repelente em spray directamente na roupa.
3. Permanecer em locais com ar condicionado e/ou redes protectoras nas porta e janelas. Pode-se também aplicar o repelente do lado exterior das portas e janelas e utilizar um difusor eléctrico.
4. Dormir debaixo de uma redes mosquiteiras, garantindo que nenhuma parte do corpo fica encostada à rede (redes rectangulares são mais seguras que triangulares).

Fazer um bom seguro de viagem também é uma recomendação que fazemos sempre. Se tivermos o azar de sermos “apanhados” por uma doença destas, não vamos querer poupar a meios para ter o melhor tratramento possível!

 
Planeie a sua viagem com estas ferramentas
Faça como eu! Estas são as ferramentas que utilizo no planeamento e preparação das minhas viagens. Ao utilizar os links abaixo, poderá ter alguns benefícios e, ao mesmo tempo, ajuda-me a manter o blog sem pagar nada mais por isso.
Voos
Encontre os melhores voos no Skyscanner ou no Kiwi.com
Alojamento
Reserve o seu hotel, hostel ou guesthouse no Booking ou no Airbnb
Seguro de viagem
Faça sempre um bom seguro de viagem com a World Nomads ou a IATI
Tours e bilhetes
Marque os seus tours e compre bilhetes para atracções na GetYourGuide ou na Civitatis
Rent-a-car
Consiga os melhores preços de aluguer de carros na Rentalcars ou na Economy Car Rentals
Cartões Bancários
Poupe nas taxas de levantamento com os cartões Curve, N26 ou TransferWise

Deixe um comentário