A ironia da hora tailândesa

Por mais que tente nunca vou ser capaz de explicar o que é viver na Ásia, viver na Tailândia de forma 100% comprensível para um ocidental. Da mesma forma é-me extremamente complicado explicar aos tailandeses e birmaneses como vivemos no ocidente, em Portugal.

Após quatro meses cá, sei que o meu pior inimigo é o filme americano. Não é tão mau como na Índia, onde a ideia de promuiscuidade ocidental está mais do que enraizada, mas algumas vezes dei por mim a agitar os braços como um moínho a desmoronar-se e suplicar:

– Mas isso é só nos filmes, juro!

Uma das primeiras coisas a que nos temos de habituar é que o tempo e as horas funcionam de forma diferente. Sim, estou a tentar explicar porque nunca sei em que dia da semana estou. Aliás, se quiser ser precisa, tenho de mencionar que na Tailândia não se vê as horas como no ocidente: existe manhã, tarde e noite mas cada parte correspondente no relógio tem duas formas de ser expressa, uma mais complicada que a outra. De manhã, até à uma, as horas são como no ocidente mas depois, da uma até às sete, basicamente dizem as horas como se fosse tudo uma da tarde: uma da tarde duas, uma da tarde três, uma da tarde quatro, etc. Depois o mesmo com as sete: sete da noite oito, sete da noite nove… É complicado. Mas nada comparado com a forma informal de dizer as horas, eu pedi para pararem de me explicar quando me disseram que nove da noite dito na rua, em qualquer situação não formal é:

– São três horas da noite.

Tentar perceber este sistema com uma tailândesa que mal falava ingles e depois com uma inglesa com tailandês fluente, foi mais complicado do que ter aulas de latim aos sábados de manhã.

É engraçado como viver noutro país nos torna mais humildes, seja por que não percebemos o que se está a passar ou – na maioria dos casos – por que parecemos estúpidos quando um local nos tenta explicar algo muito básico da sua cultura.

É quase impossível explicar a ironia desta precisão a dizer as horas quando a maioria das pessoas não funciona com uma noção de futuro ou de tempo igual à dos ocidentais. Até perguntar se a encomenda chega no dia x ou se a ligação telefónica funciona é uma aventura. Nunca se sabe quando chega e o “volte amanhã” pode ser repetido durante semanas seguidas. E, no entanto, sabem dizer as horas de duas formas diferentes… e com um sorriso enorme!

Sempre que marcarem alguma coisa na Tailândia peçam o equivalente em horas ocidentais, só para ter a certeza.

   
Planeie a sua viagem com estas ferramentas
Faça como eu! Estas são as ferramentas que utilizo no planeamento e preparação das minhas viagens. Ao utilizar os links abaixo, poderá ter alguns benefícios e, ao mesmo tempo, ajuda-me a manter o blog sem pagar nada mais por isso.
Pesquisar voos
Pesquise os seus voos num agregador como o Skyscanner ou o Momondo.
Alojamento
Reserve o seu hotel, hostel ou guesthouse no Booking ou no Airbnb.
Seguro de viagem
Não arrisque! Faça sempre um bom seguro de viagem com a World Nomads ou a Globelink.
Tours e bilhetes
Encontre um tour à sua medida e compre bilhetes para atracções no GetYourGuide ou no Viator.
Rent-a-car
Consiga os melhores preços de aluguer de carros na Rentalcars ou na Economy Car Rentals.
Cartões Bancários
Poupe nas taxas de levantamentos em viagem com os cartões Revolut ou N26.
WiFi e Internet Móvel
Tenha internet ilimitada em qualquer país do mundo com o Skyroam.
 

Mais dicas de viagem sobre Tailândia

Deixe um comentário