Kit de Viagem

Malaca, Malásia

Guia prático e essencial para visitar Malaca

Malaca, herança portuguesa no mundo

Malaca, ou Melaka no idioma local, é um dos destinos mais visitados na Malásia, quer por turistas estrangeiros, quer por locais. Para os portugueses e, por consequência, para os brasileiros tem um interesse especial, uma vez que foi uma das cidades conquistadas na época dos descobrimentos e grande parte dos pontos de interesse dizem respeito esse período. A presença portuguesa sente-se mesmo e isso é emocionante!

Malaca é uma cidade que se visita bem em dois ou três dias mas é sempre difícil aconselhar quanto tempo se deve ficar. Neste artigo vai encontrar informações sobre os seguintes assuntos:
» Como chegar e sair
» Onde dormir
» Onde comer
» O que ver, fazer e visitar

Como chegar a Malaca

A forma mais prática e fácil para chegar a Malaca é de autocarro (ónibus).

O comboio (trem) não é um meio eficiente, uma vez que não há estação na cidade e a mais próxima fica em Tampin, a cerca de 40 km. O avião poderá ser uma opção dependendo do ponto de partida (Penang, por exemplo) mas o aeroporto de Malaca, que fica a cerca de 15 km do centro, tem ligações muito limitadas e raramente é utilizado por turistas e viajantes.

Autocarro (ónibus) desde Singapura, Kuala Lumpur ou qualquer outra cidade da Malásia

A forma mais simples e eficiente de chegar a Malaca é de autocarro e os bilhetes podem ser comprados online muito facilmente através dos sites BusOnlineTicket.com ou 12Go.Asia. Desde Singapura, há vários autocarros diários, sendo que a maioria parte do Golden Mile Complex ou do terminal da Queen Street, ambos facilmente acessíveis por Metro. A viagem demora cerca de 4-5 horas, dependendo das filas e tempo gasto na passagem da fronteira. Desde Kuala Lumpur, também há muitas companhia e horários ao longo do dia. Os autocarros partem normalmente do Terminal Bersepadu Selatan (TBS) e a viagem demora cerca de 2 horas.

autocarro onibus malaca, malasia

Autocarro directo desde Singapura até Malaca.

 

O terminal Melaka Sentral é um pouco afastado do centro mas há autocarros cujo destino final é o Hatten Hotel, o Hotel Casa del Rio ou outro ponto mais perto da zona histórica (para onde seguem depois de parar em Melaka Sentral). Se for possível, escolha um desses e peça ao motorista para sair o mais próximo possivel do seu alojamento. Se ainda não tiver alojamento marcado, aconselho sair na Clock Tower, atravessar a ponte para a Jonker Street e começar a procurar a partir daí.

Se a viagem terminar mesmo em Melaka Sentral, terá que apanhar um autocarro local ou um táxi até ao seu destino final. Os autocarro citadinos em Malaca são bons, seguros e baratos. O nº17 pára mesmo na Clock Tower.

Pesquisar autocarros na Malásia

 

Como sair de Malaca

Para sair de Malaca, as opções são basicamente as mesmas mas em sentido inverso. Apenas uma nota sobre o autocarro “directo” para Penang (7-8 horas), para dizer que não é propriamente directo porque pára em Kuala Lumpur. Na minha opinião, acho pode valer a pena viajar primeiro para KL e daí para Penang, mesmo que se faça no mesmo dia e de seguida. As opções de companhias, horários e qualidade dos autocarros são muito mais à partida de KL do que de Malaca.

Onde dormir em Malaca

Quando se para qualquer lado, uma das principais preocupações é onde ficar alojado. As melhores zonas, mais próximas das atracções turísticas, dos restaurantes e vida nocturna, que tipo de alojamento, a que preço, etc. Em Malaca, há basicamente duas zonas de alojamento adequadas para uma visita de turismo.

mapa de malaca, malasia

Zonas recomendadas para alojamento em Malaca.

 

A Zona 1, a que recomendo em primeiro lugar, é a área à volta da Jonker Street (o nome formal desta rua é, na verdade, Jalan Hang Jebat), perto de quase todos os monumentos históricos e locais a visitar e onde se situam a maioria dos restaurantes, cafés, lojas, etc. É a zona mais movimentada e mais adequada para quem gosta de estar “em cima do acontecimento”. À noite, não deixa de ser tranquila e não é barulhenta para dormir. Aqui encontram-se a maioria dos hostels e alojamentos mais económicos, guesthouses, homestays e pequenos hotéis de charme, a maioria deles instalados em casas e pequenos edifícios antigos. Na última vez que estive em Malaca, fiquei vários dias na Da Som Inn Guesthouse e só posso dizer bem: excelente localização, óptimo e farto pequeno-almoço, simpatia, etc. Não hesitaria em voltar a ficar. Outras opções que fui visitar para conhecer e poder recomendar são, num contexto mais budget, a Layang Layang Guest House ou a River Song Residence e, com um bocadinho mais de orçamento, o Heeren By The River Hotel ou o Gingerflower Boutique Hotel. Quem procura e pode pagar uma coisa mais fancy e com mais qualidade, penso que o RC Hotel ou o 1825 Gallery Hotel serão boas opções. Uma última nota para o Aldy Hotel, onde também já fiquei uma vez e, apesar de ser um hotel já antigo e um bocadinho desgastado, continua a ser uma referência e a ter uma localização invejável.

guesthouse em malaca, malásia

Layang Layang Guest House, em Malaca.

 

A Zona 2 é onde se localizam os hotéis mais “internacionais” como o Holiday Inn, o Novotel, o Hatten Hotel e outros mais pequenos e locais como o ND Hotel ou o Mercury Boutique Hotel. Não é uma zona propriamente má ou perigosa, mas está ligeiramente mais afastada das atracções turísticas, restaurantes, etc e a envolvente não é tão bonita e tradicional como na zona histórica. Será apropriada para quem prefere ficar em bons hotéis e não se importa que ter que andar um bocado ou apanhar um transporte para chegar ao centro, principalmente à noite. Ou talvez a quem viaje em carro próprio ou alugado e queira evitar o estacionamento na zona histórica.

Hotel em Malaca, Malásia

Piscina do Hotel Holiday Inn, em Malaca.

 

Há imensas opções de alojamento em Malaca e o meu conselho é, para além das que recomendo acima, pesquisar no Booking.com uma que agrade em termos de localização e preço e que tenha boas avaliações. Não há que enganar!

Pesquisar alojamento em Malaca

 

Onde comer em Malaca

Falando da Malaca turística, a maioria dos restaurantes e locais para comer concentram-se ao longo da Jonker Street e suas transversais. Aqui, pode-se encontrar tanto pequenos restaurantes e bancas de comida locais como cafés e espaços mais modernos e trendy. O meu conselho é ir andando até se encontrar um que agrade em termos de ambiente e preço, porque em termos de comida é quase tudo bom! Destacaria, talvez, o típico e tradicional Jonker 88 para uma experiência mais local e o Geographér Café, com um ambiente mais internacional, música ao vivo em algumas noites e um óptimo menu.

Comer em Malaca

Restaurante Jonker 88

 

Aos fins-de-semana (Sexta, Sábado e Domingo) há Night Market na Jonker Street a partir das 18h. Isto significa, praia além das bancas com produtos milagrosos, souvenirs e coisas afins, outras tantas com iguarias e comidas deliciosas! Definitivamente, este é o local para ir jantar num destes dias!

Malaca Night Market Jonker Street

Petiscos de ostra no Night Market de Malaca.

 

Para além desta zona mais central, é possível encontrar sítios para comer por toda a cidade. Garanto que fome não se passa! E, para os amantes de fast food, ou para quem precisa de desenjoar um pouco da comida asiática, há dois ou três centros comerciais perto do centro histórico onde se encontram várias cadeias internacionais.

O que ver, fazer e visitar em Malaca

Malaca é uma cidade histórica, classificada como Património Mundial da UNESCO, que foi ocupada por Portugueses, Ingleses e Holandeses. As suas principais atracções têm precisamente a ver com esses períodos de colonização, nomeadamente os edifícios, igrejas, fortes, monumentos e ruínas de outras construções que ainda hoje resistem. Mas não é só! A zona histórica está cheira de arte urbana, como grandes murais e edifícios pintados, estátuas e instalações, pequenos cafés criativos, etc.

A primeira coisa a fazer é ir ao Posto de Turismo buscar um pequeno mapa que eles têm e onde estão bem assinalados os principais pontos de interesse turístico. Depois, é só passear e ir descobrindo!

The Stadthuys

Dutch Square, Malaca

Também conhecida como “Dutch Square” ou “Red Square”, é o centro de tudo! É um bom ponto de partida e chegada dos passeios pelos locais históricos e, inevitavelmente, um lugar para tirar algumas fotos. O Posto de Turismo, encontra-se nesta praça, precisamente no local de onde tirei esta foto.

Igreja de São Francisco Xavier

Igreja de São Francisco Xavier, Malaca

Esta igreja de estilo neo-gótico é uma das principais marcas da presença portuguesa em Malaca. Foi construída em 1856, por um padre francês, em honra de São Francisco Xavier e a partir das ruínas de uma antiga igreja portuguesa. Até aos dias de hoje funciona normalmente como uma igreja católica, com missas e serviços regulares.

St. Paul’s Church

St Pauls Church, Malaca

Esta igreja foi originalmente uma pequena capela construída pelo navegador português Duato Coelho, como forma de agradecimento por ter sobrevivido aos ataques inimigos no Mar da China, e baptizada de Igreja da Nossa Senhora da Anunciada. Está localizada no topo de uma colina com vistas magnificas sobre a cidade e o mar.

Porta de Santiago (A Famosa)

Porta de Santiago, A Famosa, Malaca

Este forte foi construído na sequência da chegada a Malaca de uma frota portuguesa liderada por Afonso de Albuquerque, em 1511, e de forma a solidificar a conquista da cidade, que se acreditava ser de enorme importância na Rota das Especiarias, entre Portugal e o Oriente. Mais tarde, primeiro os holandeses e depois os ingleses tomaram conta da cidade e do forte, mas o nome manteve-se para sempre.

Passeio no rio Melaka River Cruise

Melaka River Cruise, Malaca

Um excelente passeio pelo canal da Malaca, onde se pode apreciar a arquitectura e os murais pintados e ficar a saber um pouco mais da história da cidade. Demora cerca de 30-45 minutos e o ideal é fazer mesmo ao final do dia, pouco antes de anoitecer, para assim ainda apanhar luz na ida e a iluminação já acesa no regresso.

Dar uma volta num Trishaw decorado

Trishaws decorados, Malaca

Pode ser uma coisa demasiado turística e pouco “cool” de fazer, mas vai ser difícil resistir a dar uma volta num destes trishaws super decorados e, muitos deles, com música a bombar nas alturas. À noite, então, com as luzes todas acesas… é o expoente máximo do tunning!

Lojas, cafés e galerias na Jonker Street

Jonker Street, Malaca

A Jonker Street é o centro de toda a acção em Malaca. Esta rua está cheia de pequenos restaurantes a bancas de comida, cafés, bares, galerias, museus, lojas tradicionais e de antiguidades, lojas modernas, etc. É um sitio para ir depois de andar a visitar os locais históricos e, claro, às sextas, sábados e domingos à noite não de pode perder o night market!

Alugar uma bicicleta e descobrir a cidade

Alugar bicicleta em Malaca

Malaca é uma cidade que se visita muito bem de bicicleta! Se o seu alojamento não fornecer uma, vai encontrar vários sítios onde é possível alugar. É barato. Pegue no mapa e vá passeando sem grande preocupação.

Subir à Menara Taming Sari

Menara Taming Sari, Malaca

Para ter a melhor vista panorâmica sobre a cidade, nada como subir a esta torre de 80 metros de altura! A subida é mecânica a as pessoas vão dentro de um anel gigante, sentadas e em segurança. Medo de alturas? Boa sorte!

Mesquita Kampung Kling

Mesquita Kampung Kling, Malaca

Esta mesquita não vem muitas vezes referenciada nos guias, mas descobri-a porque fica mesmo em frente à guesthouse onde fiquei alguns dias. É muito bonita, principalmente ao final do dia e início de noite e, apesar dos turistas não poderem entrar na sala de oração, pode-se ver tudo por fora e ouvir o chamamento pelos altifalantes, que para mim é sempre um momento especial.

Passear junto ao canal e relaxar numa esplanada

Malaca junto ao rio

Viajar também é para descansar e relaxar, e não apenas para andar a papar quilómetros e a visitar monumentos. Concordam? Então, Malaca vai cair que nem uma luva. Ao longo do canal que circunda o centro da cidade, há um promenade magnifico onde é possível admirar de perto as casas, pontes, murais pintados, etc. E ao longo desse passeio, vários cafézinhos tranquilos ideais para relaxar, tomar uma bebida, ler um livro, conversar ou simplesmente estar.

Mesquita Terapung Selat

Mesquita Terapung Selat, Malaca

Esta mesquita é espectacular! Fica um pouco afastada do centro, na chamada Ilha de Melaka, mas vale totalmente uma visita, especialmente ao final da tarde para ver o pôr-do-sol e o anoitecer. Pode-se ir até lá de bicicleta desde o centro sem grande esforço. O trajecto é sempre plano e demora cerca de 20 minutos. Em alternativa, pode-se apanhar um táxi.

Bairro Português

Bairro português em Malaca

O Bairro Português, ou Portuguese Settlement, é onde historicamente vivem ou viviam mais descendentes de portugueses. Hoje em dia, não tem grande interesse e limita-se a ser um local onde as ruas têm nomes de portugueses e onde a malta se encontra de vez em quando para confraternizar e comer marisco, principalmente durante as festas de São Pedro.

Mapa de Malaca

 
Planeie a sua viagem com estas ferramentas
Faça como eu! Estas são as principais ferramentas que utilizo no planeamento e preparação das minhas viagens. Ao utilizar os links abaixo, poderá ter alguns benefícios e ajuda-me a manter o blog.
Pesquisar voos
Pesquise os seus voos num agregador como o Skyscanner ou o Momondo.
Alojamento
Reserve o seu hotel, hostel ou guesthouse no Booking ou no Airbnb.
Rent-a-car
Consiga os melhores preços de aluguer de carros na Rentalcars ou na Economy Car Rentals.
Seguro de viagem
Não arrisque! Faça sempre um bom seguro de viagem com a World Nomads ou a Globelink.
Tours e bilhetes
Encontre um tour à sua medida e compre bilhetes para atracções no GetYourGuide ou no Viator.
 

,

16 Responses to Guia prático e essencial para visitar Malaca

  1. Carla 12/11/2017 at 11:32 #

    Obrigada pelo post, tem sido muito útil este seu blog no planejamento para a minha viagem pela Ásia! Não tinha pensado em Malaka, mas agora vou incluir! :)

  2. Victória 03/01/2017 at 07:49 #

    Post incrivel ! Estou anotando tudo pra amanhã, quando chegar a Malaca! Parabéns!

  3. Marta Chan 01/08/2016 at 14:29 #

    Gostei tanto de visitar Malaca, basicamente nunca tinha assim um plano. Saia de casa e ía explorar. Num dos dias resolvi ir à praia que ficava pertinho e acabei almoçando com uma familia muçulmana muito querida que me recebeu de braços abertos.

    Raramente gosto de voltar ao mesmo local, mas aqui não me importaria nada!

  4. angie 01/08/2016 at 14:11 #

    q legal, adorei as sugestões! quando fui pra Cinga e Malásia nem pensei em passar em Malaca, apesar de ter ouvido muito bem durante a viagem..o que faltou foi tempo e $$ aheuaheuahe

Your text André Parente Click here to cancel reply.